quarta-feira, 6 de agosto de 2008

sei lá, cousas do momento...


Envolta aqueles pensamentos insolúveis retiro-me minuciosamente do real, e encaro à todo custo o que me aflige no lado fantasioso que me pertence. Metendo as caras, no cru.

Um lado, diga-se de passagem, é tão feio que me assusta, porém o outro até que reformando um pouco aqui, outro ali, ficaria perto daquilo que se chama de beleza feminina, no sentido completo.

Um lado grita desesperadamente enquanto o outro se cala, feito mosca morta. Preciso uni-los a um só, para poder consertar essa desorganização grotesca. Esse ser portador de duas almas conflituosas é o mesmo que irá trabalhar em cima disso. Só ele tem as ferramentas certas. Porém, é o mesmo que fez tudo cair e sair trincando no chão escuro, restando apenas feixes de luz envolta a sua cabeça. Dessa forma fica difícil sair voltando pelo mesmo caminho, caminhado um dia de forma tão desajeitada.

Vai entender o abstrato, queria eu!

Um comentário:

Tatiana disse...

"Como é bom ter um amor! Mesmo que seja de formiguinhas."