quinta-feira, 7 de agosto de 2008

*um dia desses*

01/02/08


Era uma sexta-feira à noite tudo estava normal o movimento dos ventos, a euforia das pernas rodopiando sem cessar, pessoas passando e show rolando, quando de repente não, mas que de repente, lá estava ela perdida em meio a multidão tumultuada, só no meio de tantas pessoas ao seu redor, rindo, mas não um riso puro e sim necessário. Me pareceu feliz, mas realmente foi só impressão, minha comunicação foi direta, não pensei antes de toca-la, foi algo surpreso e inesperado, não esperava vê-la por lá. A toquei e meus instintos foram logo tomando conta de meu corpo, senti foi um arrepio que me veio dos pés calçados até a nuca onde quase fora beijada. Era como se estivesse dentro de um verdadeiro iceberg que esse abraço me causou, cada pelugem do meu ser ergueu-se feito arbustos quando sente o vento sereno da tarde.
Pensei em solta-la por estar em meio a tanta gente, mas ousei o tal ato que foram os melhores segundos de toda aquela noite de folia, realmente “eu trocaria a eternidade por está noite”. Quando a soltei senti certo desnorteio bom, um alucinógeno melhor que qualquer droga já provada (me viciei e hoje não consigo largar esse vicio) e fiquei parada sem reação alguma, apenas pensando se seria certo tudo que havia acabado de acontecer e não achei resposta pra mim mesma.
Na segunda vez que a vi, parecia que algo a dominava, bateu certo temor e não reagir. Era muito forte essa visão que tive e sim, algo a dominava realmente. A terceira vez que a encontrei me parecia pior que a de antes, estava tudo tão triste, um dia pacato, como se isso dependesse dela pra mudar, mas ela estava pior que isso. Sua aparência caída e no mesmo perturbada, nos falamos e ela nem imaginava o que se passava em minha mente a dias. E esses dias são de sonhos e não são poucos, já acontece faz um tempo, são noites e noites sem dormir, ficando a pensar em tudo isso, o pior de tudo é que eles não me dizem nada, virando apenas sonhos.
Queria poder falar isso a ela, na verdade já falei, pois isso aconteceu já algum tempo. E hoje eu colho sementes não muito boas, comendo tudo que eu plantei ou que plantaram por mim.

Escrito 06/02/08

"HTML"

Nenhum comentário: