sábado, 31 de maio de 2008

sem flor, sem endereço, sem ninguém...


Prosterno-me diante delas, persigo-as, mordo-as, amo-as. Uno-as com o meu humilde sentimento. Divido um pouco dessa harmonia com alguém que irá saciar-se dessa essência que se faz em silêncio. Espero que saboreie, mudo, pétala por pétala. Nelas, as toquei, as beijei... deixei um pedaço do meu sorriso, do meu silêncio, do meu cheiro. O meu prazer é ver-te tendo prazer em recebe-las. Elas que simplesmente revelam a sua beleza, o seu cheiro, a sua pureza. Uma só pétala resume um carinho delicado guardado em meu coração. Ela sugere mistério em seu amplo silêncio, diz a ti que te ama e quer o seu bem.
[não poderia ser diferente]
Filtra delas a calma, a paz, a liberdade. Faz dela o teu refúgio de um mundo com chão de barro. Garanto a você que em algum lugar do tempo as coisas que te angustiam iram se diluir diante da força da beleza desses lírios.

Com carinho,
Vanessa Camila.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

numa aula de matematica...

Lápis, borracha e uma folha de papel em branco. Começo a observar com bastante cuidado tudo a minha volta, sem deixar escapar nada. Pessoas, cada uma ali com um sonho determinado, buscando-o. Luzes acesas, emoções, pensamentos desnorteados, lembrança passageira. Cada molécula de oxigênio começa agora a penetrar em meu corpo, uma a uma. O professor de matemática ainda continua falando sobre funções sobrejetoras. Paulinha passa seu batom nos lábios, Maria eugenia continua respondendo tudo o que o professor pergunta. Joana nem se fala nela bichinha, ela fica tão miudinha naquela sala enorme. Tem uma que nem se sabe o nome, vive distante, prestando atenção em tudo e em todos... numa caixinha transparente fechada, num mundo de fantasias e sonhos. Para muitos ela é um enigma. Ninguém ali nunca ouviu nenhum som ecoando da sua boca. Seria maluquice demais? Exagero, profundidade, cair de cabeça? Talvez... mas ela é muito feliz e num é isso o que importa? Ela não vive andando na fila junto com os outros como uma marionete fingindo ser uma melancia sendo uma uva. Sorrindo apenas para mostrar seus lindos dentes, ela só sorri para as pessoas que lhe cativam ora. Enfim, aquele sininho irritante começa agora a destruir meus devaneios. Fecho delicadamente a folha, guardo e vou embora.

domingo, 11 de maio de 2008

Antes de eu absorver todas essas incertezas você era apenas um passageiro de algum lugar. Era um estrangeiro sem bagagem e sem identidade. Mas o vento é inquieto e fez os nossos destinos se atravessarem para dar inicio a uma historia de acasos. Hoje você é o condutor de uma alma indefesa. O eu que me referi logo no inicio desse emaranhado de palavras agora é um eu sem mala, despida dos pés a cabeça. Ouço as ondas do mar que o vento traz e logo escuto o som da tua voz. Vejo a única e mais fascinante rosa do jardim e logo vejo a sua imagem. Abraço-te e logo sinto uma paz plantada em meu corpo. Vejo os seus olhos e logo o brilho intenso da lua se reflete sobre os meus.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

rima ridícula

Vou colar estrelas na sola do seu sapato
para iluminar seu caminho
Vou atrás de você só pra
te dar mais carinho

Vou pintar nos muros da cidade
sorrisos contagiantes pra te agradar
Vou atrás de todos os seus sonhos
para você sonhar

Vou comprar um violão
compor milhares de canções
Vou tentar fazer um samba
pra você, meu amor, não se perder nas aflições

Vou ao infindo procurar uma rosa
com cheiro de felicidade
vou despetalar a rosa do canto mais puro
para na sua vida não faltar prosperidade