domingo, 31 de maio de 2009

Fragmento V

Leila forte chama de ar puro levados com o vento
Traz consigo o frio e o cobertor dos dias quentes
Uma mistura de Continentes expostos no parecer do tempo
Pureza minuciosamente posta em uma única pele branca, negra.
Doce vinho branco seco guardado numa adega
Apaixonante boca que fala e se apaixona, só.
Vários tons em um único olhar
Transforma os sentidos ao falar
Suplica das palavras explicações extensas, extremas palavras.
Formando um almanaque de idéias.

Com a delicadeza sai do casulo expondo suas asas
E fecha-se como concha ao ser tocada
Sua pérola quase nunca é mostrada
Mas seu encanto continua perpetuado no ventre
Flutuando em pequenos pensamentos ausentes
Perdida no espaço, aterrisa quando precisa.
As madeixas dos seus fios envolto de si
Com o perfume dos impróprios, disfarça.
A dor que mastiga e não passa
Ultrapassando o cheiro do amor.

30/05/2009


"HTML"

Nenhum comentário: