domingo, 2 de agosto de 2009

pedra solta ao vento
escorregando sobre areia molhada
molhada do choro sofrido das meninas
ingénuas

sol, claridade, mocidade
envolta aos seus pés a folha madura
madura do choro sofrido das meninas
astuciosas

silêncio das noites que gritam suas dores
encorajando seus corações sofismado
da água, da areia, da vida

vida pujante
- a professora

qualquer coisa assim, como quando o entender não se entende;

é só não entender,

fingimento

Nenhum comentário: