segunda-feira, 28 de setembro de 2009

No ser do mais que de um ser humano, disparato de carne e osso, com o sangue escorrendo inteiro interno. Feito de razão sendo importante para quem pensa.


'HTML'

domingo, 13 de setembro de 2009

E a luz acessa
No fim do corredor
Mostrando cada ponto luminoso
A quem quer ver
Todas as cores
Todos os tons
Fazendo reluzir solidão
E propagando desilusões (rasteiras)
Passando por brechas minúsculas
Sentimentos involuntários de desejo.




"HTML"

quinta-feira, 3 de setembro de 2009





''uma luz [a esperança, a divina espera-nça], várias luzes [a humanidade per-d-d-d-d-ida]. ''
Com os olhos sinto o cheiro do teu vazio rasante. Transmutando imagens que chegam a causar arrepios. Na cor frágil da bruma pesada com a chuva. Contesto a pele profunda sem mãos ousadas. Um cronograma de efeitos. Textura colorindo a cada dia. Respostas de olhos vistos com outros olhos. Cenas e movimentos circundantes de trágicos desejos. Nos sentidos, os cincos. Sem o alegre mágico do eterno retorno. Na leveza dos risos sobre-humanos. A vontade que aflige a realidade. Enche de esponja, a espuma sugadora.


"HTML"
Uma criança, com seu olhar curioso na sede da descoberta infinita, ver na simplicidade as coisas mais maravilhosas do mundo. Alimentando sua pequena alma com um pouco de esperança... vestindo-se para trilhar um caminho desconhecido e desajeitado.